BLOG

Efeito manada: fuja dele na hora de investir

Veja como se proteger e tornar sua vida financeira muito melhor

Um dos vieses comportamentais mais comuns e prejudiciais na hora de investir o seu dinheiro é o efeito manada. A boa notícia é que é possível aprender como se proteger dele e transformar a sua vida financeira para que ela seja muito melhor.

O efeito manada faz com que as pessoas sigam um determinado padrão de comportamento de outras pessoas ou grupos. Isso quer dizer que copiamos ou imitamos nossos semelhantes o tempo todo. Quando somos bebês, pelo menos até um ano de idade, tendemos a fazer exatamente o que fazem os nossos pais. E isso é levado para a vida toda. Na adolescência, queremos usar roupas iguais às dos nossos colegas, queremos frequentar os mesmos lugares que eles e por aí vai. Isso existe desde os primórdios, quando os seres humanos andavam em bandos para se proteger de seus predadores.

O efeito manada tem como objetivo a proteção e a sobrevivência do animal, vem daí o conceito e, por isso, esse viés nos acompanha durante a vida toda.

E nas finanças pessoais, como se proteger?

É aí que eu quero que você veja o quanto nos deixamos levar por esse viés na hora de investir.

Vou dar um exemplo muito clássico: os investimentos na bolsa de valores. Em 2021, a B3 (a bolsa de valores brasileira) divulgou que atingiu a marca de mais de 1 milhão de CPF’s femininos. Se você lê ou escuta essa notícia e ainda não investe em ações, a sua primeira impressão é de que está perdendo uma oportunidade, não é mesmo? E, às vezes, por não ter conhecimento, você pode sair comprando o que indicaram, pois todos estão fazendo isso. Entenda que a minha intenção aqui não é falar para você não entrar no mercado de ações, muito pelo contrário: eu acho que toda mulher precisa ter ações na sua carteira de investimentos. O que eu quero que você entenda é: será que este é o momento certo de fazer isso? Ou você está seguindo a “manada”?

Lembra na sua adolescência, quando você pedia autorização para a sua mãe para ir a algum lugar e ela não deixava? Normalmente, o nosso argumento para tentar reverter a decisão era de que todo mundo ia. Ao que prontamente ela respondia: “Mas você não é todo mundo!”.

Ali, sem querer, ela estava ensinando você a não seguir a manada. Mas será que você aprendeu?

De qualquer forma, vou deixar umas dicas para você se proteger e não ser vítima do efeito manada na hora de investir:

  • Conheça seu perfil de risco. Isso vai deixá-la tranquila frente às oscilações que certos investimentos apresentam;
  • Busque por informações consistentes antes de investir. Se não se sente segura para investir sozinha, peça ajuda de profissionais qualificados;
  • Defina suas metas. De acordo com elas, você saberá por quanto tempo o dinheiro deverá permanecer investido;
  • Dê uma “segurada” nas suas emoções e mantenha uma estratégia. Não deixe o seu emocional tomar conta das suas escolhas.

E para fugir da manada…

E, para você descontrair, ficar mais esperta na hora de investir e não deixar o efeito manada tomar conta das suas decisões financeiras, assista abaixo o vídeo da série da HBO Max “Merlí. Sapere Aude”, que mostra a facilidade com que nos deixamos influenciar pelas escolhas de outras pessoas. É divertido, vale a pena!

https://www.youtube.com/watch?v=wMPcbAXLVwY

Karina Scola Pescada é planejadora financeira pessoal CFP® da Foquemos Investimentos

Posts Relacionados

Finanças

Quanto é $uficiente para você?

Antes de mais nada, busque essa resposta através do significado que você dá ao dinheiro. Eu tenho um segredo. E esse segredo permitirá que você dobre sua renda em 12 meses com apenas mais cinco horas de trabalho por semana. Topa? Se você respondeu “sim”, quero lhe dar a oportunidade de triplicar esse valor em […]

LEIA MAIS
Sem categoria

O que há de certo comigo?

Foque em tudo que você tem de melhor para alcançar o seu propósito de vida. Você deve ter estranhado um pouco esta pergunta, não é? Infelizmente aprendemos a nos questionar: “o que há de errado comigo?” Geralmente, quando algo não está bom ou não está indo muito bem nos questionamos dessa forma, mas e se […]

LEIA MAIS